Por Gleidson Martins

De vilarejo a um dos pontos turísticos mais procurados no México. Puerto Vallarta é hoje um paraíso tropical com hotéis luxuosos e restaurantes requintados.

D5155A6C-60D8-4D43-A80B-7874AE796A9AO município era conhecido como Puerto Las Peñas. Em 1918 o nome foi alterado, passando a se chamar Puerto Vallarta, com uma população de mais de 203 mil, bem diferente de 1,500 habitantes quando era conhecida como Las Peñas.

PV Já foi palco para grandes celebridades como Elizabeth Taylor e Richard Burton. Os dois adquiriam uma residência, a Casa Kimberley. Eram momentos felizes para escapar da agitada vida de Hollywood. Atualmente a Casa Kimberley se tornou um hotel com o glamour de Hollywood.

É nesse paraíso que empresários estão colocando as mãos na massa. Basta olhar para os lados, para o alto que você notará novas construções. Parece até uma metrópole sendo edificada logo ali, as margens da praia.

De acordo com o diretor de Turismo da cidade, Ramón González Lomelí, esta temporada está sendo a melhor desde 1983. Cerca de 8 milhões de visitantes, mais de 70% comparado ao ano de 2015. Mas nem tudo é festa. Para quem não se desgruda do celular, a viagem pode se tornar um pesadelo. Não há wifi nas ruas da cidade, pelo menos por enquanto. “Estamos trabalhando para isso, no prazo de 5 meses teremos wifi na principal rua da cidade”, finalizou Lomelí.

A Canadense Verona Sparacino contribui para esse crescimento. Ela e familiares passam de 3 a 5 meses por ano em PV. Ela já está tão à vontade com os costumes locais que não perde o momento de experimentar as guloseimas comercializadas em praça pública.

O artesanato também é forte, onde você andar há uma pessoa tentando vender algo. Se você não estiver afim de adquirir nada, não faça contato visual.

Na principal rua da cidade, Olas Altas, você encontra de tudo um pouco. Desde de restaurantes, lojas de artesanatos, mercadinhos a bares héteros e gays, além de casa de shows como o The Palm Cabaret. Lá você pode assistir musicais, comédias como o do comediante Joe Posa que vive a eterna Joan River em “The Bitch is Back!”, com uma tradução nada interessante; “A cachorra está de volta”.

A rua parece uma passarela. É gente chegando, gente indo embora, saindo da praia, entrando em restaurante – uma loucura gostosa com uma temperatura agradável, afinal é inverno em PV, mas o sol é presença garantida.

Para curtir esse paraíso é preciso planejar. A maioria dos turistas fazem suas reservas nos primeiros meses do ano, isso para aproveitar sem contratempos, a alta temporada que vai de 28 de novembro até fevereiro. Mais companhias aéreas estão fazendo trajeto do Brasil ao México, assim como dos Estado Unidos. De acordo com Lomelí os brasileiros estão em terceiro lugar no ranking de visitantes em PV.

O que fazer:

Vista Zona Sur y HoteleraAntes de tudo, não fique hospedado próximo ao aeroporto, é longe das badalações, vá para a Zona Romântica (conhecida como Velha Vallarta – Old Town), lugar tranquilo apesar do numero de visitantes transitando em via públicas. Aproveita a manhã para fazer compras ou tomar um sol na praia. Durante a noite é interessante caminhar pelas ruas e ver a agitação das pessoas, parar em algum bar/ restaurante que colocam as mesas na calçada e viver o calor humano dos mexicanos.

A praia dos mortos é ideal para ficar bronzeado, com amplo espaço onde bares, hotéis e restaurantes marcam presença. Em alguns bares você não precisa nem se mover para comprar uma bebida, há garçons para isso. O ponto IMG_0800da vez é Ritmos Bar – um bar gay, com DJ e muita gente malhada desfilando. Neste bar você precisa pagar 50 pesos (cerca de 10 reais) para usar os serviços de garçom e banheiro. Mas se você não quiser gastar com esses serviços, bem ali do lado você pode deitar em sua toalha e curtir a agitação. Nessa mesma área você pode se aventurar de parasailing que proporciona uma vista fantástica da orla.

Na principal rua, Olas Altas, fica o The Palm Cabaret, uma boa pedida se você gosta de assistir shows musicais, comédias, drag queens e muito mais.

Na mesma rua, mais abaixo, está o bar/restaurante “Andale” – um espaço hetero onde você pode se jogar na pista e se ver dançando agarradinho com seu parceiro (a).

Próximo a essa mesma rua está o Margarita Grill, um restaurante com música ao vivo e um aperitivo de água na boca. Assim que você sentar, um garçom vem e prepara, ao seu lado, a molho de tomate grelhado (cortesia da casa). Peça o prato guacamole (feito de abacate) para acompanhar, além de uma margarita.

Atenção: as porções são grandes e podem ser divididas.

Ao lado do Rio Cuale, em uma pequena ilha, está o restaurante River Cafe – um lugar romântico para a família e casais. No cardápio “coconut jumbo shrimp” (camarão frito com coco) – uma delícia.

Antes de ir para a balada, caminhe pela orla marítima e saboreie o que há de melhor da comida local, experimente o bolo três leches.

lanoche 3Logo depois vá ao La Noche – bar que oferece três ambientes com dançarinos e performances. Bem ao lado, outros dois bares estão ganhando popularidade, e para finalizar a noite e cair na pista, vá para o CC Slaughters. Todos na rua Lázaro Cárdenas, bem próximo ao centro.

PV também é famosa pelos esportes radicais como o rapel, tirolesa, mergulho, e muito mais. Para adquirir ingressos em uma excursão é fácil, basta caminhar pela orla ou pela rua principal que há pontos de vendas. Há, também, pequenos escritórios da secretaria de turismo da cidade com funcionários amigáveis e bastante prestativos.

Detalhe importante: deixe seu preconceito de fora da sua mala. PV é, hoje, um ponto turístico para todas as pessoas (Heteros e LGBT) e atrai visitantes dos Estados Unidos, Canada, Brasil e Europa. É normal ver casais do mesmo sexo de mãos dadas e isso não é problema, todos estão lá para se divertirem. E os moradores agradecem.